Ibovespa de olho nas negociações da zona do Euro

Essa semana o Índice Ibovespa começou em queda, registrando logo na 2ª feira 53.015 pontos, passando por uma recuperação no pregão seguinte de alta marcando máxima de 53.982 pontos. Para essa 4ª feira dia 17 o índice aguarda os momentos de negociação da Grécia junto a seus credores na zona do euro, criando um impasse para a economia.

Também é verificado o aguardo na votações para o ajuste fiscal ainda nessa 4ª feira, onde se prioriza medidas administrativas do governo frente as tomadas de decisões no controle dos índices inflacionários. Nesse cenário de incertezas, o índice registra até o momento 53.114 pontos  às 14:07 horário de Brasília resultado um percentual de queda de –1,04%.

Verificamos os papéis do setor de telefonia em alta, sendo TIMP3, registrando alta de +4,0% no pregão cotada a R$10,03. A alta expressiva do papel durante o pregão é explicada devido a aquisição da Vivendi sobre a Telecom Italia, empresa responsável pela TIM, tornando-se a maior investidora do ativo após a venda da GVT no último mês.

Com a VALE3 cotada a R$19,42(-1,42%) e VALE5(-1,41%) a R$16,79 verifica-se para o setor momento de quedas no desempenho dos papéis para os próximos dias. De acordo com algumas fontes, o setor tem seguido em baixa devido a queda nas cotações do minério de ferro na China., registrando quedas de mais de –2,00% a tonelada. São registradas 04 sessões de quedas consecutivas no setor com baia demanda.

As ações da PETR3 cotada a R$14,55 (-0,89%), PETR4 cotada a R$13,21(-1,05%) às 14:25, também seguem em um cenário negativo, após um breve momento de alta no ínicio do pregão, revertendo agora nessa tarde.

Para análise técnica, a PETR4  no curto prazo e longo prazo, encontra-se em clara tendência de baixa, marcando topos e fundos descendentes. Ainda não mostra sinal de reversão no movimento, apresentando fraqueza para tentar uma superação de topo em R$13,64, não apontando risco x ganho propício para operações no momento. È possível verificar ainda possibilidades de quedas nesse pregão que poderão acentuar ainda mais após uma confirmação de rompimento entre a casa dos R$12,26, fundo mais próximo da linha de tendência atual no curto prazo.

O setor bancário quanto aos resultados na bolsa passam por um momento de pressão hoje. A alta registrada no começo da semana de BBAS3 (Banco do Brasil), ITUB4(Itaú), BBDC3, BBDC4 e (Banco do Brasil) deve-se ao vencimento das opções de ações e aos movimentos de investidores zerando suas posições vendidas.

No pregão de hoje verificamos queda sendo BBAS3, R$22,67(-2,33%),  BBDC4, R$27,93(-1,27%),  ITUB4, R$34,07(-1,45%).

Conforme comentado pelo diretor de relações com investidores do Itaú, Marcelo Kopel o cenário econômico para 2015 será marcado por dificuldades, coma a possibilidade de inadimplencias nos próximos meses. Esse panorama de dificuldades deverá atingir a maior parte dos segmentos da economia sem excessões, levando em conta os momentos de instabilidade política e de insegurança frente ao mercado.Levando em conta a situação, o banco tem adotado como estratégia o aumento nos fundos, evitando um desequilíbrio no spread bancário

Eventos Corporativos na Bolsa de Valores

Uma maneira de abordar esse tema de forma a exemplificar os direitos do investidor quando detém parte das ações de uma ou mais empresa é pelos eventos corporativos disponíveis.

O que são eventos corporativos?

  Os eventos são considerados benefícios que o investidor passa a receber quando assim adquire ações de uma empresa e esses benefícios geralmente são recebimentos de proventos em dinheiro, dividendos ou novas ações.

Existem vários eventos que devemos ficar atentos para o recebimento como por exemplo: dividendos, juros sobre capital próprio, bonificação, subscrição, desdobramentos, grupamento.

Esses eventos são classificados em proventos de ações e proventos em dinheiro. Por exemplo: Os proventos em dinheiro classificam o evento de dividendos e juros, pois são pagos na forma de crédito ao investidor que detém as ações em custódia na data de pagamento.

Desdobramentos, grupamento e bonificação são considerados proventos de ações, pois são realizadas modificações nos lotes de quem possui as ações pela multiplicação e formação de novas ações com reajuste no preço investido.

O acompanhamento dessas informações pode ser realizado diretamente no site da corretora Rico em  http://www.rico.com.vc/mercado/subscricoes

As informações referentes a cada empresa encontra-se disponível em vários campos da tabela que o investidor pode estar analisando. Vamos analisar os principais campos essenciais :

  1. Código: Nome da empresa que deseja consultar o benefício cedido;
  2. Evento: Tipo de benefício disponível e anunciado pela empresa;
  3. Percentual/Valor: Esse campo mostra o percentual de pagamento no caso dos proventos de ações como: subscrição, bonificação e dividendos e valores monetários no caso de proventos em dinheiro por ação em custódia;
  4. Data de pagamento: A data que foi e a que está anunciada para a realização dos aportes de benefícios aos acionistas.

Os eventos corporativos geralmente ajustam os preços das ações como também o nº de ações atuais e sempre ocorrem no pregão posterior a data informada conhecido como “ações em ex-evento”. Vale lembrar que sua posição financeira fica inalterada após a ocorrência de um evento e que aquisição em dia posterior não será considerado o benefício pelos ajustes decorrentes em data ex evento.

Juros e o mercado em 2013

Juros e o mercado em 2013

Para acompanhar com maior clareza as situações que envolvem os investimentos, se faz necessário o acompanhamento de mercado. Sendo assim, fizemos uma análise dos juros e das estimativas que o mercado terá em relação a eles durante esse ano.

De acordo com o relatório Focus, o mercado reduz suas expectativas para a inflação e apostam em uma alta para a SELIC(Taxa básica de juros). São mais de 100 instituições apuradas sobre os índices que estarão compondo o mercado futuramente.

Ainda se espera uma inflação fora dos padrões para março, e uma taxa de juros não tão boa assim. No mês de abril essas expectativas caem de 0,46% para 0,40% e dá sinais de juros sobre controle.

O IPCA-15 que é o índice levantado para uma prévia de decisão da inflação oficial no Brasil subiu em 0,49% e com isso já vem acumulando uma alta de 6,43% mostrando uma inflação ainda em alta a nível nacional.

Com possível queda da inflação o mercado aposta em alta na taxa SELIC. Os analistas acreditam mesmo que irá subir e se manter até o fim de 2014 com possível chances de que os investimentos mais passíveis sejam adotados como opção ao mercado de renda variável.

Quanto a nossa economia em 2013, tudo indica que será fraca. As médias para o PIB caíram de 3,03% para 3% e 2014 a média foi vista em 3,50% entre os principais analistas no relatório. Nossa indústria já passa uma queda acentuada em seu índice apontado pela CNI em 57,1 pontos mais baixos agora em março e aponta recuo para recuperação. A indústria apresenta uma produção desaquecida e uma fraca demanda que impede uma posição mais atrativa.

Vendo por esse lado, haverá possíveis chances de uma queda na bolsa de valores com uma nova mínima que será atingida nas próximas semanas devido a saída de muitos investidores com alternativas complementares de investimentos menos arriscados.

Qual investimento mais rentável e mais líquido?

Nos últimos anos, é possível notar essa pergunta sendo realizada por muitos investidores iniciantes que encaram o investimento como uma alternativa de renda com melhores resultados. Nesse ponto,  realmente o investimento bem planejado e direcionado a um objetivo se torna um complemento, uma segurança, um capital de giro, até mesmo um pé de meia.

Por ora, um investimento não é igual ao outro, e não se pode ter em questão de resultados tudo em um só, pois um investimento que tenha muita liquidez será uma aplicação sujeita a um risco maior, como também haverá melhor rentabilidade proporcional ao risco que se corre. Por exemplo: na bolsa de valores, aplicando em ações. Um investimento com baixo risco terá menor liquidez e sua rentabilidade será menor para um curto espaço de tempo, como é o caso da renda fixa com rendimento atrelado ao CDI.

Considere alguns fatores ligados diretamente aos tipos de investimento: CDB, títulos públicos, debêntures e fundos de renda fixa:

Risco de crédito e de mercado: O risco de mercado é entendido quando as taxas de juros sofre uma variação durante o tempo de seu investimento e voce ganha menos do que o esperado incialmente causando atrasado em sua previsibilidade de ganho. O risco de crédito seria a garantia do recebimento e do retorno do valor aplicado pela instituição, banco contratado.

Liquidez: Facilidade de resgate do dinheiro aplicado. Maior liquidez é significado de melhor rendimento e retorno no tempo esperado. Menor liquidez sempre vem acompanhada de um rendimento à longo prazo como os de renda fixa e cumulativos com prazo determinado para o resgate.

Com base nesses fatores, o objetivo a qual esteja sua vida no momento deve ser traçado para escolha de qual será o investimento a ser aplicado e de quanto aplicar.

Como negociar ETF’s ?

Os índices são medidores que compõem o mercado com a função de avaliar o desempenho médio em conjunto da formação das ações, visualizando o comportamento financeiro, como se houve valorização, queda de resultados ou aumento de volume. A forma de visualização desses resultados é determinado pelos índices com base no levantamento diário de todas as ações da BM&Fbovespa retendo os resultados obtidos em determinado período .

O principal índice considerado é o índice Bovespa conhecido como IBOV, pois as ações que o compõem correspondem respectivamente com mais de 80% de todo volume financeiro no mercado, sendo assim o mais conhecido dentre o mais comparado .

Todo índice é formado por uma carteira teórica de ações sendo que só o índice Bovespa possui em sua formação 60 ações diferenciadas que apresentam resultados dentro do mercado e assim influenciam a posição do índice. Cada empresa que compõem um índice apresenta resultados e esses resultados possuem um impacto direto determinando em valorização ou queda. Por exemplo : Quando ficamos sabendo que a bolsa subiu 2% significa que o índice também subiu 2% e o impacto de cada empresa determinou isso .

Tomemos como exemplo as participações de empresas que compõem o índice Bovespa no período de setembro à dezembro .

Código                         Participação

Petr4                                9,74%

Vale5                               9,35%

OGXP3                            5,25%

ITUB4                             4,43%

BVMF3                              3,44%

 

Tendo em vista essas participações algumas das empresas tem peso maior do que outros logo assim vemos que se a PETR4 com seus quase 10% de participação tiver uma alta de 3% isso corresponderia a 0,3% para o índice respectivamente.

Os índices são sempre revisados a cada 3 vezes ao ano assim sendo uma composição nunca é fixada passando sempre por alteração periódica. O mercado de ações é formado por vários índices e cada índice possui um vínculo com cada mercado, ou seja cada índice possui uma composição diferente conforme o setor do mercado por exemplo: setor de energia, serviços financeiros.

Índice Financeiro (IFNC) – Esse índice está representando o desempenho médio de mercado das ações que compõem o setor financeiro como as empresas financeiras, bancos nacionais, internacionais, bolsa de valores . Exemplo : Bradesco, BM&Fbovespa, Cielo e Porto Seguro .

Índice de Energia Elétrica (IEEX) – Analisa o principal desempenho médio das empresas que formam o setor de energia por exemplo: Elerobrás, Cespe, Ceming.

Para localizar os principais índices é só ir no próprio site da BM&F Bovespa Mercados > Ações > índices.  Dentro do mercado utilizamos os índices como apuração de desempenho, mas sendo assim podemos negociar índices ? A resposta é não !!. Agora conseguimos negociar ETF’s (Exchange Traded Funds) fundos que compõem um índice formando sua posição na BM&Fbovespa.

As aplicações são similares as de compra e venda de ações na bolsa de valores negociáveis pelo Home Broker, com possibilidade de usar menor capital para compra de tais fundos.  Nesse caso, só é preciso conhecer o código de negociação de um índice, tendo em vista que as empresas que o compõem já foram analisadas por você. Quando se aplica em um índice você está diversificando seus resultados.

Um lote mínimo corresponde a 10 cotas desse lote no mercado à vista e o valor a ser pago vai depender de quanto esse estiver valendo hoje na data de compra. Assim sendo as ETF’s apresentam uma excelente opção de investimento na bolsa de valores para quem deseja investir diversificando seus resultados .

 

Qual será o impacto da copa na economia brasileira?

A copa do mundo no Brasil está sendo considerada uma atração mundial onde existe uma concentração muito grande sobre os projetos enormes no setor de construção civil dos estádios que servirão como palcos aos jogos. Mas é de dever do governo brasileiro uma correta administração pública financeira a esses projetos, tendo em vista que o orçamento para tanto será financiado por nós.

A economia da copa aqui no Brasil visou com essa intenção não só tornar o Brasil um palco para as próximas competições mas sim investir internamente em obras que gerem crescimento a alguns setores como: turismo, construção civil, comércio, hotelaria gerando assim empregos a mais trabalhadores e melhor condição ao país. Com esse impacto existe uma expectativa de crescimento  para tais setores da economia onde é possível crer que atrairemos investidores externos que apóiem essa estratégia de consolidação e tornem o país mais flexível com retorno financeiro garantido.

A copa do mundo é um momento do país se arrumar transferindo recursos para o crescimento próprio atraindo um patamar de estabilização no setor de infraestrutura pública, transporte, serviços de segurança, lazer entre outros. É um momento em que se deve ter consciência de que a economia anda bem e pode melhorar desde que haja administração pública correta para o alcance em médio e longo prazo desse crescimento.

O governo brasileiro pode utilizar esse evento como alavancagem no processo de estabilização de seus recursos aumentando a demanda por serviços na área de construção civil, arquitetura, turismo e tem apresentado um aquecimento interno entre outros para o PIB nacional consolidando melhor posição em relação as demais economias mundiais de 1º mundo.

O Brasil sendo anfitrião dos jogos olímpicos em 2016 e do próximo evento mundial da copa, levanta alguns dados divulgados pelo Comitê Organizador da candidatura brasileira na qual foi encomendado pelo Ministério do Esporte sobre o impacto econômico nacional. Tem-se que após a formalização em 2009 da sede dos próximos eventos esportivos no Brasil estima-se que o impacto econômico dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos sobre o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil será de R$ 22 bilhões até 2016, enquanto que, no período de 2017 a 2027, atingirá R$ 27 bilhões.

Isso mostra que a medida em que haja gastos por parte de reformas públicas, infraestrutura de estádios, turismo e segurança se obtém crescimento na qualidade dos serviços internos gerando empregos e renda com interesses externos nos resultados que o país vai conseguindo.

Como e por que investir em ações?

Todo investidor no auge de seus ganhos se preocupa com três aspectos necessários para alcançar um bom desempenho em seus rendimentos que são: retorno, prazo e proteção. Antes de se adquirir algum investimento é necessário sempre avaliar a liquidez desse ativo a rentabilidade em determinado prazo e o risco desse para seu capital.

O investimento em ações proporciona uma renda variável e o lucro obtido é sempre proporcional ao risco que se corre, ou seja, do mesmo jeito que se pode obter um excelente rendimento pode-se ocorrer o inverso. Investir em ações é garantir a compra de partes de uma empresa que apresenta determinado resultado com base em seus indicadores se preocupando com os aspectos citados acima para aumento proporcional do valor investido inicial de seu capital.

A procura de rendimentos no mercado é essencial e o planejamento para investir é o que se deve realizar para se obter rentabilidade. O investimento em ações vira uma opção a seus negociadores quando esses sentem que investindo na caderneta de poupança, CDI, CDB não ofereça através dos juros uma renda mais valorizada, assim sendo utilizam-se de uma forma mais agressiva para se tornarem acionistas no mercado de ações.  Assim sendo o investidor em ações é um pequeno proprietário da sociedade empresarial da qual é acionista, participando dos seus resultados. As ações viram dinheiro quando assim são entregues por meio de sua opções (contratos de aquisição) e a diferença do valor de compra com o valor de venda será sempre o lucro obtido na operação, isso se o valor da diferença não for menor que o valor inicial investido.

O mercado de ações é constituído por dois tipos de ações que são: ordinárias e preferenciais .

Ordinárias: Essas ações permitem que o investidor tenha participação nos resultados(dividendos) da empresa e permitem ao acionista votar em assembléias.

Preferenciais: Garantem maior participação no recebimento de dividendos e também reembolso de capital caso exista um fechamento de sociedade e divisão das partes.

A rentabilidade das ações possuem algumas características e podem ser garantidas por meio da aquisição das ações e da venda das mesmas com ganho de montante em relação ao valor que se tenha investido na compra, como também por meio do recebimento de dividendos e por bonificação de ações.

Dividendos: São formas de rentabilidade que permitem aos investidores participarem dos resultados obtidos pela empresa e o valor a ser distribuído é definido pela Assembléia Geral Ordinária de Acionistas.

Bonificação de ações: É quando a empresa aumenta seu capital por meio da inclusão de recursos financeiros como incorporação de reservas, proporcionando a empresa uma valorização onde é realizada a distribuição de ações a seus acionistas proporcional ao nº de ações que já tenham.

Você sabe o que é educação financeira?

Provavelmente você já deve ter ouvido falar da expressão “educação financeira”, não é mesmo? E justamente é uma expressão a ser considerada a todos àqueles que são adeptos da utilização do conhecimento financeiro em benefício da própria renda considerando que ela será a segurança que todos precisaremos.

Caro investidor, “educação financeira” é o conhecimento de que nosso dinheiro e nossas rendas acumuladas devem ser administradas para que se tenha sempre um fluxo financeiro a seu favor originando renda proveniente daquilo que se for conquistando. O fluxo financeiro, provêm da aplicação correta do dinheiro para que assim não fique parado e possa garantir rendimentos.

Dentro do limite de todos, é possível começar isso com um planejamento financeiro, ou seja, organizando de forma clara os ganhos, os gastos, as dívidas e os rendimentos em torno de suas finanças. A forma em que o dinheiro é usado irá depender de quanto você possui em termos de educação financeira, por isso quanto mais se sabe maior clareza se terá para economizar.

A “educação financeira” deve ser usada como um objeto de instrução financeira onde o objetivo é administrar e ordenar gastos procurando o melhor caminho para investir, valorizando seus ganhos em torno das necessidades como: despesas básicas, consumo, alimentação e lazer. O sinal de que é preciso mudar sua estratégia está em ficar todo mês no vermelho caindo nas mãos do famoso “cheque especial”.

Ninguém gosta de ver a conta negativa depois de trabalhar o mês inteiro e não conseguir aproveitar o salário com coisas que realmente importam. Esse sinal mostra que você pode estar sendo vítima de uma organização precária em meio a seus gastos. Procure fazer um levantamento de todas as despesas diárias, semanais e mensais colocando na ponta do lápis por ordem de importância o que realmente é indispensável e reduza na medida do possível outros gastos que isso pode estar acarretando um desequilíbrio desordenado em seu orçamento. Tenha consciência de que seu dinheiro deve ser gasto e movimentado da melhor maneira possível e só você pode fazer isso.

Como identificar tendências na Bolsa de valores?

Para aqueles que são analistas investidores que acompanham o mercado diariamente é sempre importante ter a disposição excelentes ferramentas de análise e identificação dos preços, pois é, estou a falar da “Análise Gráfica” e sua influência para prevenção de uma queda e na identificação de uma tendência.

Uma das melhores formas de garantir seus investimentos primeiramente é ter o que investir sabendo aonde será aplicado para que se tenha rendimentos consideráveis. Isso mesmo pessoal, estou a falar de conhecimento, mas conhecimento do mecanismo de funcionamento do mercado, usando a forma em que ele se movimenta para geração de renda a partir de seu próprio capital, fazendo isso da melhor forma possível .

Vamos entender um pouco mais sobre esse tipo de análise e como usar a nosso favor.

No mercado de ações podemos notar em qualquer gráfico que a forma em que se movimenta nunca é linear(linha reta) e sempre vem acompanhado de seus “topos e fundos” formados pelos “zig-zags”. Os “zig-zags” e suas trajetórias representam o teor de negociações que um ativo e a forma em que aparecem formam esses topos e fundos que serão a todo tempo analisados. Portanto devemos entender o seguinte:

– Mercado acionário em seu período prolongado será sempre composto por topos e fundos em que a direção na qual se movimentam nos indicará uma linha de tendência com seus “zig-zags” realizados pelas negociações sofridas por determinado ativo.

Dentro do esquema de “zig-zags” e da forma em que os mesmos aparecem, um acionista pode também encontrar um canal que será uma ferramenta muito importante para saber o rumo que uma tendência terá, mostrando pontos de reversão que são momento ideais para estar fora do mercado em caso de um queda futura. Podemos identificar linhas de tendência de acordo com cada situação tendo sempre em mente as definições que são :

LTA(linha de tendência de alta): Em uma tendência de alta a formação de topos e fundos são ascendentes e os fundos são utilizados para traçar essa direção. Se tivermos um fundo superando o outro, existe a hipótese de uma reversão dessa tendência, onde chamamos de quebra de suporte ou momento de saída do mercado.

LTB(linha de tendência de baixa):  A linha de tendência de baixa é formada por topos e fundos descendentes e os topos são utilizados para traçar essa direção, ou seja para se definir o canal de atuação dessa tendência. Se nesse caso tivermos um topo superando o outro, haverá aqui um rompimento de resistência e uma possível reversão do mercado na busca de uma correção no contexto em que estiver posicionado.

A identificação de tendências, portanto se torna aliada do investidor e o deixa apto para a tomada de decisões em torno de seus investimentos prevenindo perdas muitas vezes desnecessárias.

Não opere notícias na bolsa de valores

Um erro que muitos investidores costumam cometer sempre é o ato de operar notícias na bolsa de valores. Por exemplo, se sai agora uma notícia de que a empresa Y que estava falida será reativada pelo governo, você já entra comprando tudo que puder mesmo a ação tendo pulado de 0,30 para R$ 6,00 (após a notícia), você decide comprar em R$ 6,00 mesmo. O detalhe nesse caso, é que talvez o valor R$ 6,00 seja o topo histórico e que a empresa nunca mais vai voltar para este patamar, ou que volte daqui a alguns anos.

Não devemos nos basear em notícias, pois tudo já está precificado. Um exemplo disso ocorreu em BVMF3 a alguns anos atrás, quando ela estava valendo R$ 13,65 e a noite o ministro da fazenda Guido Mantega anunciou a taxação do IOF para estrangeiros em 2%, no dia seguinte ela abriu em GAP de baixa de mais de 15%, indo buscar a mínima lá para os R$ 11,50, em outras palavras, a ação já abriu com o preço da notícia (precificada), quem estava vendido antes da notícia que se deu bem, quem entrou vendido após a queda toda se deu mal porque dias depois a ação voltou a subir.

Existem notícias que nos ajudam sim no nosso investimento, porém o efeito delas só é visto em longo prazo. Quando se trata de notícias e ainda mais em curto prazo, quase sempre é especulação. As únicas pessoas que conseguem operar notícias e se dar bem com isso são os insiders, estes possuem contatos e conseguem saber das coisas antes mesmo delas serem anunciadas pela mídia. Se eu, por exemplo, soubesse que a MNDL4 subiria mais de 500% em pouco tempo, eu teria me posicionado nela quando ela estava a R$ 0,50, mas quando ela abriu o dia com alta de quase 100% eu pensei: “não entro nela mais, já era, já está precificada pelas notícias, boatos ou otimismo exagerado”.

Ignore completamente as notícias, ou se for usá-las para investir, não aposte todo seu dinheiro nisso. Lembre-se que você não foi o primeiro a saber daquela notícia, muita gente já sabia antes a menos que você seja um insider e tenha acesso a informações privilegiadas da empresa. Se eu trabalho na empresa X como diretor de projetos, eu sou um dos primeiros, a saber, que a empresa X vai lançar um novo produto e possivelmente quebrar recorde em vendas, então eu já me posiciono na hora comprando suas ações. Quando a mídia ficar sabendo disso e publicar nos jornais e etc, muita gente vai entrar comprando elevando bastante o preço, porém quem saiu ganhando primeiramente fui eu, o insider que já tinha acesso a notícia primeiro que todos.